Turismo vacinado: americanos já reservam destinos de férias de ver?o

Setor de viagens dos Estados Unidos espera ver os resultados positivos da imuniza??o em massa no país
Gregory Henderson e seu marido, Joseph Massa, coproprietários da pousada The Roxbury at Stratton Falls, na cidade de Roxbury, etado de Nova York. Foto: John Muggenborg / The New York Times
Gregory Henderson e seu marido, Joseph Massa, coproprietários da pousada The Roxbury at Stratton Falls, na cidade de Roxbury, etado de Nova York. Foto: John Muggenborg / The New York Times

Quando o presidente Joe Biden disse em um discurso nacional que churrascos e encontros talvez fossem possíveis para o feriado de 4 de julho, muitos americanos tiveram a esperan?a de poder resgatar outra tradi??o de ver?o: as férias.

Mesmo antes do discurso cautelosamente otimista do presidente, as buscas e reservas on-line de viagens de ver?o já batiam recordes. No aplicativo de reserva de viagens Hopper, houve um aumento de quase 75% nas buscas por voos em agosto desde o fim de fevereiro, quando a terceira vacina foi aprovada nos Estados Unidos. O site de busca de viagens Kayak também está vendo o interesse por viagens de ver?o aumentar constantemente, com seu tráfego de pesquisa crescendo até 27% a cada semana.

Quanto às reservas, o Hopper relata que as domésticas aumentaram 58% em meados de mar?o, em compara??o com todo o mês de mar?o de 2019. Mais americanos, ao que parece, est?o planejando férias ao sol, reuni?es com netos ou apenas um descanso.

— Vamos literalmente a qualquer lugar, estamos desesperados para viajar. Só queremos pegar um avi?o e sentir que nos afastamos de nossa vida por uma semana — confessou Minda Alena, decoradora e diretora criativa em Nova Jersey que está planejando quatro viagens para o ver?o e o outono do Hemisfério Norte.

Sol, praia e vacina:território dos EUA no Caribe vira 'destino turístico de imuniza??o'

Suas férias come?ar?o em agosto com uma viagem às Ilhas Turks e Caicos, destino que está na lista de Minda há anos. Uma visita à Jamaica com o marido virá depois, seguida de uma viagem com as amigas a Palm Beach, na Flórida, para seu aniversário de 50 anos, e outra em família, com seus três filhos, para a Grécia antes do fim do ano.

Minda e o marido acabaram de se vacinar. Perderam amigos na pandemia, mas ela se acredita sortuda porque ninguém da família ficou doente. Esse último ano, no entanto, mudou a forma como veem as finan?as: est?o mais inclinados a usar parte do dinheiro que passaram anos economizando e investir em experiências:

— Meu marido e eu pensamos: "O que estamos esperando?" A vida é muito curta.

Minda Alena, que planeja fazer quatro viagens nas próximas ferias, no ver?o ou no outono do Hemisfério Norte Foto: Laura Moss / The New York Times
Minda Alena, que planeja fazer quatro viagens nas próximas ferias, no ver?o ou no outono do Hemisfério Norte Foto: Laura Moss / The New York Times

A pandemia dizimou a indústria de viagens no ano passado: a Organiza??o para a Coopera??o e o Desenvolvimento Econ?mico previu uma redu??o na economia do turismo global de até 80% depois de contabilizar todos os dados de 2020. Porém, com o ritmo de vacina??o acelerado e o número de viagens aumentando, uma recupera??o — pelo menos para viagens domésticas — parece iminente.

Uma pesquisa realizada pela Amazing America, site dedicado às viagens pelas estradas dos EUA, descobriu que mais de 75% dos entrevistados acreditam que será seguro viajar neste ver?o. (Mais de 68% disseram que a pandemia os levou a escolher viagens domésticas em vez de internacionais.)

Halee Whiting, proprietária da consultoria de vendas de hotéis Hospitality With a Flair, cria estratégias de pre?os e pacotes sob medida para esses estabelecimentos. Quase 70 por cento do tráfego web de seus clientes agora é para viagens entre julho e meados de setembro:

— As pessoas est?o ansiosas para sair, mas ainda hesitam. Com a vacina??o acelerada e os estados come?ando a afrouxar suas diretrizes, este ver?o vai come?ar quando elas estiverem prontas para sair de sua bolha.

Um ano sem viagens:como seis destinos turísticos lidaram com a pandemia

De fato, muitas agências de viagens e operadoras de hotéis já est?o vendo números que superam os de 2019, que foi um ano maravilhoso para o setor.

O Vacasa, site de gerenciamento de casas de aluguel, relata que as reservas de grandes propriedades em estilo familiar aumentaram mais de 300% em rela??o ao ano passado. As casas de aluguel foram um grande atrativo para os turistas em 2020 – gra?as à promessa de privacidade – e neste ver?o os viajantes novamente as procuram.

Dê uma olhada em apenas uma das propriedades de Vacasa, o Whispering Pines Lodge em Eagle River, no Wisconsin. As reservas na pousada de 11 quartos est?o 97,5% maiores do que há dois anos, com as vagas para o ver?o já quase esgotadas.

Os hotéis, que ainda experimentam uma redu??o anual na ocupa??o de mais de 20%, também est?o vendo um aumento para o ver?o.

O Roxbury em Stratton Falls, resort em Catskills, no estado de Nova York, com intrincadas casas temáticas, esteve muito perto de fechar de vez depois que sua inaugura??o no ver?o de 2020 foi recebida com uma enxurrada de cancelamentos.

— Este ano estamos enfrentando o problema oposto. A demanda é t?o alta que, até meados de abril, n?o haverá disponibilidade de um fim de semana sequer até outubro — comemorou o coproprietário Greg Henderson.

Solu??o:com restaurantes vazios, hotéis nos EUA alugam suas cozinhas a chefs independentes

— A demanda é real. Estamos esgotados para a maioria das datas durante o ver?o e o outono — informou Betsy O'Rourke, diretora de marketing da Xanterra Travel Collection, que gerencia pousadas e restaurantes em parques nacionais, incluindo o Parque Nacional do Grand Canyon e o Memorial Nacional Mount Rushmore.

Muitos viajantes reservam viagens na tentativa de finalmente aproveitar as comemora??es que foram restringidas ou canceladas em 2020, e hotéis e operadoras turísticas est?o colaborando. O Langham New York vai encher um quarto de hotel com bal?es e champanhe para viajantes que queiram celebrar um aniversário; um hotel próximo, o Baccarat New York, oferece um pacote semelhante que inclui um presente personalizado para comemorar uma data perdida pelos hóspedes em 2020.

Nenhum setor de viagens foi mais atingido pela pandemia do que os cruzeiros, e a maioria das principais linhas n?o está sequer considerando a retomada dos servi?os nos EUA até outubro.

Mas os clientes fazem reservas para o fim do ano, especialmente em navios menores. A Uniworld, especializada em cruzeiros fluviais, oferece um cruzeiro europeu com tema natalino pelo Danúbio todo inverno; este ano, em julho, vai lan?ar também dois cruzeiros especiais de Natal para viajantes que sentiram que seu Natal de 2020 foi perdido.

Maratonas:como deve ser o retorno das corridas de rua pelo mundo

Para quem quer viajar em meados deste ano, mas n?o tem certeza de quando deve come?ar a comprar, os consultores de viagens frisam que, quanto mais você esperar, mais vai gastar.

— Os pre?os est?o come?ando a subir, mas ainda há muitos negócios a ser descobertos. Os pre?os dos hotéis, por exemplo, continuam a oferecer descontos de quase 20% em rela??o aos últimos anos, com os maiores descontos ainda disponíveis em hotéis de três e quatro estrelas — disse Brett Keller, executivo-chefe da Priceline.

E Adit Damodaran, economista do Hopper, prevê que os pre?os das passagens aéreas come?ar?o a subir em abril e atingir?o um pico no início do ver?o setentrional:

— Normalmente, vemos um aumento gradual de meados de abril a julho, quando os voos v?o ficando cada vez mais caros conforme o ver?o se aproxima. Este ano parece uma onda chegando.

Outra raz?o para reservar agora? A maioria das políticas de reserva flexível introduzidas no início da pandemia permanecem em vigor, permitindo que os viajantes alterem ou cancelem reservas de hotéis e passagens aéreas sem a necessidade de pagar uma taxa enorme.

— Se nossos clientes puderem cancelar e pagar apenas uma pequena multa, v?o continuar reservando. Há muitas pessoas que est?o tentando compensar as coisas que perderam", afirmou Sudeep Shah, executivo-chefe da Travel King International, agência de viagens em Dallas.

Henderson, do Roxbury em Stratton Falls, admite que é difícil confiar nos sinais otimistas de seus negócios depois de um ano t?o difícil. Enquanto dava duro em Nova York, seu irm?o no Oklahoma quase morreu de Covid.

— Todos temos uma forma de estresse pós-traumático — disse.

Mas ele e seu marido conseguiram receber sua primeira dose da vacina contra o coronavírus depois que a elegibilidade em Nova York incluiu trabalhadores de hotéis. Duas semanas depois de receber sua segunda dose, ele planeja uma viagem ao Oklahoma para ver seu irm?o:

— N?o digo que vou comprar agora, mas estou procurando. Há uma espécie de euforia. E, se estou me sentindo assim, sei que muitas outras pessoas devem estar sentindo o mesmo.

 

草蜢社区在线观看-草蜢影院在线影院